sexta-feira, 27 de março de 2009

Oco vazio cheio de nada



Sinto a necessidade de me embrenhar nas palavras sem limites nem virgulas que me pausem. Mergulhar nesta espiral mortal que me arrasta numa orbita de vertigem em direcção ao âmago do desespero. Pudera eu expressar sem restrição o vazio duma alma trocada há muito por apenas nada ou tão pouco e martelar estas teclas marcadas pelos símbolos que se agrupam em significados ou insignificâncias até sentir as pontas dos dedos em ferida sangrando e na dor despertar.

Escrevo sem respirar como numa corrida onde não posso parar sobre a ameaça da derrota que na teimosia ainda não consegui aceitar. Escrevo sem sentido nem objectivo apenas porque não sei mais o que fazer. Escrevo sem encanto na composição das ideias que se secaram pela aridez do cansaço. Escrevo sem pausas de pensar marginalizando a emersão da realidade. Escrevo apenas porque escrevo e enquanto escrevo nada mais existe.

Passaram poucos minutos desde que comecei a espalhar pelo branco estas manchas negras que se amontoam e me libertam como gritos. Agora não me importa ritmos e correcções ou a aceitação de quem quer que seja. Quero apenas preencher este vazio.

Olho num repente para o que ainda tenho que sufocar e engulo a hesitação e continuo sem meditar nos verbos ou seleccionar adjectivos e substantivos. Cubro o espaço sem uniformidades ou sumos de poeta ou proseias racionais. Pudera eu ainda ter mais palavras disponíveis e transformava a eternidade que me resta numa sementeira de escrita.
video
This Mortal Coil -Song to the Siren

13 comentários:

Pronúncia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pronúncia disse...

O texto transmite na perfeição o título.

Isto é tudo tristeza?! Pareceu-me...

A música está adequadissíma. Gosto imenso dos This Mortal Coil.

LBJ disse...

O texto foi escrito com a pontinha da caneta, sem uma única alteração para sair cru, o titulo saltou a meio. Sensibiliza-me que tenhas gostado;)

Elizabeth Fraser foi uma das grandes cantoras dos anos 80, muito injustamente pouco conhecida, um dia será redescoberta pelas novas gerações. Tenho vários vídeos quer dos This Mortal Coil, quer dos Cocteau Twins, guardados como um bom vinho para publicar em dias de Outono ambiental.

Pronúncia disse...

Também gosto dos Cocteau Twins. Cá em casa há CD's tanto de um como de outro e que ainda se ouvem regularmente.

Apesar do meu gosto especial por PF também ouço muitas outras coisas...

Não me respondeste à pergunta se isto era tudo tristeza?!...

Está bem, não precisas de responder, a mim é que me pareceu um texto melancólico e triste, só porque retive a frase "alma trocada há muito por apenas nada ou tão pouco". Há alguns anos atrás ouvi uma frase em tudo idêntica, daí a impressão com que fiquei.

LBJ disse...

É um bocadinho mais que tristeza, mas deixa lá sempre que estou assim lembro-me de uma história de BD que li em tempos e que falava da descoberta de quadros desconhecidos de mestres impressionistas, sobretudo de um que se intitulava “espaço azul entre as nuvens”, amanhã vou andar de nariz no ar a olhar o céu e irei entardecer melhor:)

mf disse...

Espero que estejas melhor... Ainda que estas coisas vão e venham, espero que tenhas encontrado o teu espaço azul entre as nuvens. Para poderes ter descansado um pouco...

E não te esqueças que nada é eterno. Nem o sofrimento.

Boa semana :)

LBJ disse...

Hedgie,

Infelizmente já vi que a semana vai estar muito cinzenta, com pouca probabilidade de azuis.
O meu monstro é bicéfalo e está a revelar-se indestrutível :(

mf disse...

Não há monstros indestrutíveis. Todos têm um ponto fraco onde começam a perder. Resta encontrá-lo. Sem descanso. E mantendo a paciência para contigo. :)

LBJ disse...

Fzm pmd omnqomd p2 z20dec2 q m zu0tm. Dqu bfmx q 2 zqf a20e2 rcmo2:(

mf disse...

mu0pm nqaz bfq dmnqd. D2 mdduz a2pqd ac2eqsqc-eq. 2f q0em2 mccm0jmc r2czm pq 2 e2c0mc zmud r2ceq. Tm dqzacq zm0qucm pq 2 rmiqc. 0mpm q uza2ddugqx… Qf dqu p2 bfq rmx2…

LBJ disse...

Hedgie,

És uma fingida, andas ai a passar por pequenina e espinhosa quando afinal és uma força da natureza.:)

Obrigado pelo voto de confiança:)

mf disse...

Já me fizeste sorrir... Nunca ninguém me tinha chamado força da natureza. Cheira-me (eu tenho faro) que há quem também o seja... Pode é não saber... ;)

LBJ disse...

Aaah mas eu sei que sou, daquelas de ver ao longe;)