segunda-feira, 20 de abril de 2009

O Privilégio do Disparate - Segundo a hierarquia dos refogados



Encontrei o “White Rabbit” no final das escadas, rejubilava contente e sacudia o pelo, confessou-me que tinha sido convidado para um casting com o Burton e que se terá apaixonado pela Mia, que a Bonham Carter é uma simpatia mas que eu daria um muito melhor e mais convincente louco de chapéu que o Depp. Agradeci e disse-lhe que eu e os chapéus altos não combinávamos e que não, não me apetecia beber chá e lá foi saltitante e a mim apeteceu-me coelho de coentrada e outros sabores do meu Alentejo, bem acompanhados por um bom tinto a olhar para as planícies e a admirar a simplicidade verdadeira das suas gentes.

Dei-me a matutar com os meus botões que são daqueles de quatro furinhos, em que a linha se cruza e depois fui informar-me na pastelaria como podia candidatar-me a ser corrupto. Ora o pasteleiro é um gajo porreiro, faz uma massa folhada de lamber os dedos e o que eu gosto de palmiers cobertos de doce de ovos, mas não sabia nada disso que trabalhava para vencer na vida, o tonto. Expliquei-lhe que não fazia mal. Que agora já se podia ser corrupto, desde que se pagassem os impostos, até tinham inventado um regime especial para quem quisesse ser corrupto legalmente e a legalidade é uma coisa que sempre me agradou, mostra carácter.

Depois apeteceu-me ouvir um som e voltar a pedir a licença de porte de arma, podia ser que desta vez não recusassem, que esquecessem lá essa coisa de ser mentalmente instável, há tanto doido que anda por ai assim de cara descoberta, alguns até conseguem ser figuras publicas e eu nunca iria tremer nem ficar a moer-me porque raio tinha decidido disparar a arma, afinal já deve de ter aberto a época da caça aos coelhos ou a quem legisla a bênção a corruptos que agora até contribuem para o meu bem estar.



A minha amiga Hedgie cometeu o disparate de me conceder o privilégio de me dar um prémio, ora eu não sou para levar a sério, mas gostei do gesto e como não sou de cumprir regras não o vou expor lá de lado mas fica aqui.





Supostamente devia passar o prémio a mais 10 bloggers e informa-los mas isso dá muito trabalho, há muitos que o merecem, mas já tem carradas de prémios por isso fico-me por metade e não lhes digo nada, eles que descubram sozinhos…

100 título
Dark & Beauty
FORTEIFEIO
olhARES
Pronúncia do Norte

Waldeck-Why Did We Fire The Gun

12 comentários:

forteifeio disse...

Mais um belo texto, carregado de ironia e de palavras subrepticiamente trabalhadas, com vários propósitos em que um me agrada paricularmente, a consciência da inconsciência é superior à dita, muitissimas vezes.

Mais uma música em que me surpreendes e como tu dizes e eu espero que continues assim.

Com o teu tal " expect the unexpected" estás-me a cultivar.
Obrigado por a música pelo texto, por o comentário que fizeste no outro dia, que me deixaste sem palavras.

Obrigado pelo prémio.

E mais importante que tudo isto, é fazeres o favor de continuar a escrever que eu tenho muito gosto em vir ler o teu blogue.

Ana GG disse...

Litlle Boy
Das duas uma, ou te estás a passar, ou estás a ter um gozo IMENSO a escrever estes posts (aposto mais nesta hipótese).
Só me incomodou a estória de te apetecer coelho de coentrada perante a visão do White Rabit, já os sabores do Alentejo e o vinho tinto...parecem-me muito bem.
Palmiers cobertos, também sou fã, são de comer e chorar por mais.
Os corruptos!? Refogados? É uma ideia!

A música...espectacular!

O prémio, obrigada, um orgulho! Não sou de expor prémios mas como fiquei como me exaltou o ego, vejo-me obrigada a referi-lo no olhARES, para me armar em boa (é o meu 5º prémio...não brinques!)
;D

Princesa (des)encantada disse...

LBJ, texto fantástico. "LBJ in Wonderland", só que à moda portuguesa a coisa é mesmo insana, com a corrupção legalizada...
Achei piada ter ficado com a ideia de um outro lado do espelho da "simplicidade verdadeira", que é um mundo louco e sem sentido, mas afinal tão sem sentido como essa aparentemente lógica simplicidade.

ipsis verbis disse...

Este teu texto está mesmo muito bom e a banda sonora que lhe deste, assenta-lhe como uma luva. Meio Alice no País das Maravilhas para Corruptos, meio "white rabbit" dos Jefferson Airplane mas com vinho em vez de alucinogénos...

descobri o torrent para este álbum de Waldeck e já coloquei a minha pala de pirata.

e muito obrigada pelo prémio. :)

Pronúncia disse...

LBJ, não sei que te diga.

Cada texto teu é sempre uma descoberta.

É sempre possivel entendê-los para além das palavras que escreves. Podemos até interpretá-los de uma forma diferente da tua... deixas sempre essa liberdade a quem te lê!

A banda sonora, mais uma vez nada a apontar, antes pelo contrário.

Muito, mas mesmo muito obrigada pelo prémio. Olha que não tenho muitos, este é o segundo que recebo. Vai já, já para a estante reservadas aos prémios lá no tasco...

Obrigada! ;)

LBJ disse...

Forteifeio,

Ò meu amigo temos que ser inconsistentemente conscientes.

A minha musica é tua, agora tens uma JukeBox, que foi uma ideia que te roubei, usa e abusa.

O comentário que te fiz foi de coração e o prémio muito o mereces.

LBJ disse...

Ana,

Claro que me estou a passar e sim dá-me muito gozo, o coelhinho de coentrada, olha do sitio onde eu estou e do sitio onde tu estás, podemos encontrar-nos a meio caminho e comer um coelhinho divinal:)

Podes ficar muito vaidosa com o prémio, aperalta-te, vai laurear, mostra-o a toda a gente só é teu porque mereces:)

LBJ disse...

Princesa,

Do outro lado do espelho tudo nos parece mais bonito, mais simples, mais conexo:)

LBJ disse...

Ipsis,

Tinha uma paixoneta pela Grace Slick, que foi uma Mulher linda, agora já deve de estar velhota :(

Waldeck uma descoberta, o prémio merecido, se nunca tivesses postado mais nada só o teu acasalar da língua com as fotos nos últimos posts já bastaria.

LBJ disse...

Pronúncia,

Ora finalmente alguém que percebeu que os meus textos são palmiers com muitas camadinhas e doce de ovos bem barradinho.

O prémio vai direitinho para uma Grande Mulher :)

ipsis verbis disse...

LJB,

"só o teu acasalar da língua com as fotos nos últimos posts já bastaria."

Acasalar é de facto uma boa palavra para aqueles meus últimos posts. Tem-me dado um gozo tremendo fazê-los :)

Sarah Monteiro disse...

Existem determinadas coisas que jamais mudam, deve ser por isso que, quer perto ou longe, estarás sempre no nosso pensamento !!!
Obrigado pelo Prémio,
pela musica pelo texto e pelos comentários que já outrora me fizeste.
Sem duvida alguns deles me deixaram sem palavras, e quiçá muitas vezes tem sido eles que nos momentos em que a inspiração se desvanecia me faziam levantar, de uma forma preguiçosa...e agarrar na folha de papel e respirar mais uma lufada de ar fresco e dar largas ao meu coração e mente...um duo em perfeita sintonia...por isso e tudo mais...um profundo OBRIGADO!!!