domingo, 19 de abril de 2009

Mascara



Refugio-me na mascara da palavra que me impede de mostrar quem sou. O espelho à muito que reflecte um estranho e no entretanto rabisco histórias em entrelinhas, emoções escondidas entre virgulas, paralelos na melodia de outros, alterno humores e significados em busca de talvez concordâncias, aceitações, comunhão e empatias de outras mascaras.

Por de trás da mascara o sorriso da palavra disfarça-se da dor e a acidez da frase repele a loucura, abstrai a confusão que se dilui, ilusões e desilusões, diferenças e indiferenças, purgo ou expurgo em pequenos actos de redenção na ambição de paz ou de um outro final que se alinhe.

A mascara é lisa sem sulcos, serena irrelevante aos turbilhões das outras mascaras sedentas do desejo de expor as suas histórias no exteriorizar de linhas que desenhem finalmente uma face que possa voltar a identificar como minha.

Brandi Carlile-The Story

PS. A ideia da musica foi “emprestada” daqui, sei que um simples obrigado bastará.

8 comentários:

Pronúncia disse...

LBJ, mais um texto belíssimo, em que o que leio nas entrelinhas é recorrente... solidão, desilusão, tristeza!

Só tu, e mais ninguém, pode tirar essa máscara. O esforço é grande, mas só depende de ti e não da "empatia de outras máscaras"...

Música a condizer com o texto... belíssima!

Fica bem! ;)

Ana GG disse...

Pequeno rapaz de nome Jesus

Hoje me perdi por aqui diversas vezes, nas tuas palavras...com vontade mas sem saber como as comentar.

Gosto do que escreves, muito de como escreves...

Experimenta tirar a máscara, soltar o que te vai na alma, acredita que é libertador.

Não sei muito bem o que te dizer. Sei que não existem remédios, que os conselhos não chegam. Que as respostas geralmente estão dentro de nós e surgem quando menos esperamos.

Há tanto tempo que não ouvia esta música, soube-me bem.

=) beijinhos

Princesa (des)encantada disse...

LBJ, um obrigada eu... Foste muito pela mesma linha sim... :) E o teu texto é fantástico. Adoro o último parágrafo, onde ecoam palavras minhas de textos não tão bonitos como o teu. Mas também linhas de mim.

mf disse...

Um blog é uma máscara e as suas palavras a face que se esconde por trás dela. Essas palavras permitem-nos traçar um mapa que nos faz reencontrar os nossos traços mais verdadeiros. E é nessa face vislumbrada que vamos reconhecendo os traços de outras faces. E vamos descobrindo 'concordâncias, aceitações, comunhão e empatias'.

As palavras são redentoras quando as usamos e absorvemos bem. Ajudam a purgar e a expurgar. Dá-te tempo. Vais sentir um dia essa paz que procuras. Ou um outro final semelhante.

LBJ disse...

Pronúncia,

Entrelinhas vou caminhando e a mascara esboça sorrisos se me continuares a adjectivar os textos de belíssimos.

Fico bem;)

LBJ disse...

Ana,

A alma à muito que a fui perdendo, retalho a retalho, por entre o tempo sem dar por isso, agora de repente acordei e não sei que horas são…

=) Beijinhos

LBJ disse...

Princesa,

Empatias, simpatias, convergências ou karma de quem não consegue impedir os neurónios de rodopiar.

LBJ disse...

Hedgie,

A mascara é acolhedora e protege das queimaduras do Sol que é a realidade, a palavra normalmente manipula-se, outras solta-se mais livre e crua.

O final poderá ainda não estar escrito, eu quero acreditar que não…