sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Musicalidades com condimento #12

Retorno a um tempo em que o Mundo acreditava num Mundo que podia ser melhor e em que éramos ingénuos nas nossas crenças e na nossa forma de vestir a vida…


The sugar hill gang - Rapper's delight

7 comentários:

Storyteller disse...

Músiquinha demasiado compriiiiiiiiiida e chata!
Desculpa a minha opinião sincera, sim?

Rap não faz nem nunca fez o meu estilo. Só gosto de dois raps. O «Rap dos Matarruanos» e, agora mais a sério, o «Gangsta's Paradise».

Vê em http://www.youtube.com/watch?v=WUTJgk0HFqw

Tem um ritmo que tem a ver comigo e que me agrada.

Francisco Vieira disse...

Estou com a Story desta vez, embora saiba que ela ja tem ego que chegue sem precisar da ajuda de ninguem.

Sorry, mas esse Rap tambem nunca me disse nada :-)

LBJ disse...

ST,

Vamos lá a ver se me faço entender, esta música teve um tempo, quando apareceu era algo que nunca se tinha ouvido, lançou um estilo e acho o video hilariante e de uma ingenuidade extrema aqueles eram os tempos em que se achava que tudo ia melhorar no Mundo e que até se podia permitir aquela forma de vestir :)

Musicalmente hoje acho a músiquinha demasiado compriiiiiiiiiiiida e chata :)

Beijos

Pronúncia disse...

Nã... não faz de todo o meu género!

Bom fim de semana!

Bêjo

LBJ disse...

Francisco,

Sim não alimentes mais o ego da ST ;)

Eu gosto de Hip-Hop quando existe ritmo e o exemplo que a ST deu é um caso, os BYP e até os Da Weasel também, esta música está aqui para ilustrar uma ideia que me ocorreu quando penso na euforia que se viveu no Mundo no fim da década de 70 e no princípio da década de 80 e como curiosidade, não mais que isso :)

Abraço

LBJ disse...

Pronúncia,

Eu sei ;)

Só para ti e fica um segredo só de nós dois, vais gostar da próxima ;)

Bom Fim-de-semana

Bêjos

Storyteller disse...

Da Weasel!!!
Já reparaste bem nos olhos do Pacman? Que homem lindo! Bem, deixemo-nos de devaneios...

Como é óbvio, não posso lembrar-me desta música, pois em 1980 eu era assim a modos que pequerrucha.

Já agora, permite-me um recadinho, sim? Para ti e para o Francisco: eu não tenho um ego grande. Chuif! Como podem afirmar tal coisa? Estou triste...

Eu gosto é demasiado de abraçar a Vida e o Mundo de uma forma espalhafatosa. Só isso. Nada mais.