terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Diário de um louco impoluto – Dia 20


Sou o observador do mundo, centro-me num ponto e imagino que tudo se passa ao meu redor, imagino que tudo se passa porque eu estou ali, o espectador da vida ou o realizador que bateu a claquete e que deixa a acção correr ao sabor do improviso e da capacidade dos actores surpreenderem o público. Sou um observador centrado num ponto que está numa esquina de uma rua que não sei para onde vai nem de onde vem porque sempre a atravesso perpendicular aos seus destinos e hoje não sei porquê parei ali naquele ponto, cruzado de pedras de calcário e basalto e fiquei com vontade de seguir numa das direcções mas não consigo decidir qual.

Do outro lado um cão deitado sem trela nem dono ergue a cabeça e ladra e depois levanta-se e corre atrás de um carro que passa lentamente porque quem lá vai dentro procura algo ou se calhar apenas um lugar para parar e o cão ladra e corre saltando para a roda sem se aproximar demasiado. Pergunto-me porque correrão os cães atrás de carros? Talvez porque tem tempo para perder ou tempo para passar e eu viro a cabeça a acompanhar o cão triste alegre com a sua liberdade e a sua fome. O carro perde-se numa outra curva e deixo de ver o cão que o seguiu e fico ali ainda sem saber por onde ir.

Penso que hoje não tenho que decidir o que vou fazer amanhã e penso nela e nas suas lágrimas e penso que nunca lhe disse aquelas três palavras que sei que lhe soariam piedosas ou cheias de significado vazio. Não tive ainda coragem de admitir que nunca lhe direi aquelas três palavras e não sei se anseia que as diga ou que não as diga para que não se quebrem as barreiras que nos unem ou as pontes que nos separam. Estou aqui parado a pensar numa mentira que sei ser a realidade de hoje e quero acreditar que se pode construir com ela um amanhã, nada mais tenho para dar, nada mais tenho para receber, nada mais ainda tenho…

O cão regressa a passo e parece coxear, mas os cães sempre me pareceram coxear depois de correrem e se calhar é o destino de quem corre sem razão ou com a razão de correr. Sinto-me também coxo nos meus sentimentos e queria apenas ficar aqui sem ter que decidir ou ter a liberdade de correr atrás do próximo carro que passasse sem o receio de regressar a coxear e a lamber o tempo passado no tempo que perdi. Consigo decidir sozinho que não me decidirei ainda hoje sair da perpendicular que não me leva a lado nenhum e sigo em frente ignorando o cão que se voltou a deitar abandonado no seu mundo à espera de uma outra razão para correr ou à espera de uma mão que o acarinhe e lhe diga três palavras com significado.

Há quanto tempo me perdi nestas ruas vazias de outros destinos? Há quanto tempo me perdi destas palavras que não te direi? Há quanto tempo me perdi de vontade de sair das perpendiculares da vida e arriscar correr sem medo de coxear? Olho para as minhas mãos e já não vejo as grilhetas mas sinto-lhe as marcas e sinto-me o prisioneiro que lutou toda a vida para se libertar e descobrir que afinal depois das correntes lhe restou apenas um quarto branco ainda sem paredes nem portas nem janelas nem objectivos. Sinto pena do cão que deixei para trás e sinto pena de mim que segui em frente nesta perpendicular muda de três palavras que falam de amor e que poderiam secar as tuas lágrimas ou inundarem o teu rosto e fico na segurança de não correr atrás de carros que não sei para onde me levam mas que sei não me fazerem voltar a coxear.

Nota: Todos os textos que publiquei neste blog se emparelham com uma música que normalmente é escolhida depois de o ter escrito, neste caso foi ao contrário, a Storyteller enviou-me esta música com o desafio de que me inspirasse nela para escrever um texto, nem faço ideia se o consegui…


Snow Patrol-Chasing Cars

25 comentários:

Storyteller disse...

Conseguiste, pois!

Aliás, nem me passou pela cabeça que não fosses capaz de responder ao meu desafio.

Adorei o texto!

Mas eu sou suspeita, pois gosto desta música.
Mas eu sou suspeita porque gosto de carros que passam na rua.
Mas eu sou suspeita porque gosto de observar o mundo que me rodeia.
Mas eu sou suspeita porque gosto de cães.
Mas eu sou suspeita porque gosto de seguir em frente, rumo ao desconhecido.
Mas eu sou suspeita porque tenho uma paixão pelo teu Louco.
Mas eu sou suspeita porque respiro o que escreves.

:)

Storyteller disse...

Já agora... que música tão bem escolhida!
Há gente, realmente, com um bom gosto extremo!

Jane Doe disse...

Deste a volta ao prego e inverteste o sentimento.

Como sempre, gostei, para não gastar a palavra adorei, e cada vez que te leio fico sempre com a cabeça a fervilhar.

Por azar o cansaço não me deixa render à força da coisa e torna-se maior pela luta.

E pronto.

Há por aí uma caramela gabarolas que escolheu uma musica boa.

A próxima quero ser eu!

Oubistes?

Storyteller disse...

Jane, quem é a caramela gabarolas?
Ai o caraças!...
:P

Jane Doe disse...

Não sei.

Mas...

Hmmm pensando bem, e usando um pouco de lógica dedutiva:

Está escrito que uma caramela gabarolas escolheu a música. E eu sei, pelo post, que quem escolheu a música foste tu.

Bem, parece que a caramela gabarolas és tu!

Eu sou brilhante não acham?
Estas minhas conclusões são a prova disso!

Storyteller disse...

Ai, ai, ai ó chupa-chupa!
Se não soubesse que tu és a Jane Doe, com esses teus poderes dedutivos julgar-me-ia na presença do Hercule Poirot. Ou so Sherlock Holmes (grande filme! tens de ver). Ou da Miss Marple. Ou do Inspector Maigret. Ou até mesmo o Nero Wolfe!

Francisco Vieira disse...

grande texto, oh Jesus! Se nao fosse pela outra se babar toda, diria que "abencoada escolha", mas que te inspirou, ninguem pode negar :-)
Parabens! Eu tambem gosto deste teu estilo, embora por motivos diferentes da "outra" eh eh eh

abracos

Sue disse...

Post Lindo!

Parabéns pela escrita magnifica!

Beijo

Sue

p.s. e essa musica fantantica ;)

Icon disse...

caraças!!
tantas letras juntas!!!
posso ler amanhã?
é que é tarde e tenho mesmo que voltar a tentar dormir!! :D
só estou a comentar para amanhã isto me aparecer na caixa de correia e eu n me esquecer de ler... :D

LBJ disse...

Story,

Tu és suspeita e habitual o que te faz uma habitual suspeita :)

E pelos vistos caramela de acordo com testemunhos não anónimos :)

Agora tens tu que me responder ao desafio... "How Mary died?" :)

Beijos

PS. A música é giríta sim senhora

LBJ disse...

CLJ,

Eu sei que tu dás luta :)

Olha lá isto não é um programa de discos pedidos... Mas como é para tí manda lá a música que eu respondo :)

Beijos

LBJ disse...

Francisco,

Obrigado e um grande abraço

LBJ disse...

Sue,

Bem vinda, volta mais vezes...

Obrigado :)

Beijos

LBJ disse...

Icon,

Para a próxima uso números ;)

O que é que andaste a fazer até estas horas?

Grande abraço

Bongop disse...

E volta o impoluto! Já estava com saudades de mais um bom texto!
Continua :)

Abraço

Storyteller disse...

Hummm...
Deixa-me pensar e daqui a uns tempos digo-te. Pode ser?

Quanto aos beijos... deslarga!!!

Jane Doe disse...

Storyteller:

Não sou nenhum desses, sou a junção deles todos, sou um chupa-chupa génio!

E de morango com nata!

Mnhammmmmm

Caramela

Jane Doe disse...

LBJ:

Sabes não sabes? Acho bem.

Não é mas eu sou eu e para mim tem de ser.

Moi ser o chupa-chupa génio!

LBJ disse...

Bongop,

Continuo :)

Abraço

LBJ disse...

Story,

Estou à espera... Para a semana escrevo o prelúdio :)

Deslarguei pronto.

LBJ disse...

CLJ,

Chupa-Chups génio dentro da lamparina, prestes a saltar eu é que não a esfrego, livra...

Pearl disse...

Porquê dar a redenção aos outros, se a nós nos foi negada. Porquê mesmo na precisa hora de quebrar grilhões temos de aliviar consciências perturbadas.
Correr por correr é bom, correr por perseguir tambem. É bom um pé atrás do outro num caminho que se quer ligeiro mas com paragens.
Guardaste essas três palavras, se não lhes deste liberdade foi porque algo se fechou, não negues as tuas vontades mais uma vez.

E aqui te deixo envolto nos teus pensamentos que gosto tanto de assistir.

um beijo a três palavras.

catwoman disse...

Comentar ou não comentar? Não sei se devo, pois qualquer entro na tua lista negra.
Já comentei o teu comentário (passo o pleonasmo)e já devo ter levado nega, se comento agora... mas pronto, já diz a Pronúncia que ou somos carneiros ou não, pelos vistos não sou: corre atrás do carro, corre atrás do cão, corre atrás do que quiseres mas segue o teu impulso, a tua vontade, apetece-te dizer as palavras, são sinceras? Se são di-las, senão cala-te, mas segue os teus impulsos, porque a mim com todo esse controle parece-me que não cortaste nenhumas grilhetas: continuas algemado porque não deixas os sentimentos fluirem. Pronto já disse! Se for proscrita é pena, mas está dito, ou melhor escrito. E neste momento tenho o poder e o controle de apagar a mensagem ou enviá-la mas segui o meu impulso de escrever e não vou controlá-lo.
Espero que ainda aceites o meu beijinho.

LBJ disse...

Pearl,

Sou Jesus de nome mas não sou de perdoar, sou mais de esquecer e de acreditar que o tempo tudo apaga.

Um Beijo a três palavras

LBJ disse...

Cat,

Antes de mais não tenho lista negra e se tivesse só caberia lá um nome e não seria por muito tempo porque como disse antes não sou de perdoar mas sou de esquecer. Depois nunca pensaria mal de alguém que diz o que pensa e que o faz com vontade de ajudar e com carinho.

As grilhetas deixam marcas e não são fáceis de esquecer, sobretudo quando as grilhetas se mascaram de conforto e que quando um dia as percebes e as quebras te vês no meio da rua e percebes que faz frio (são metafóras não sou um sem abrigo por enquanto :) ).

Segues os teus impulsos e isso é bom mas atenção que raramente tomar uma decisão qualquer é melhor do que não tomar nenhuma.

Nunca mas nunca, tenhas nesta casa qualquer problema de dizeres o que pensas e eu vou sempre gostar de ti por isso.

Beijos sem qualquer dúvida :)