sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

O Privilégio do Disparate – (IN)Mundanismos [4] – O ser Português Experto


Sei pouco de muita coisa o que faz de mim um especialista de coisa nenhuma ou um consultor de qualquer coisa. Não me considero especial por esta minha qualidade porque é uma deformidade conformemente genética ou uma conformidade disformemente genética e que herdei já não me lembro bem de quem porque sempre fui um calinas a história, mas que partilho com os meus companheiros de povo e raça. Pode-se dizer que o povo Português é um povo de consultores natos, especialistas naturais e sobretudo de orçamentistas despretensiosos.

Não adianta praguejar nem dar murros no volante ou mandar foder aqueles cabrões todos que abrandam para ver os carros que bateram há horas e que já estão estacionados à beira da estrada sem estorvar ninguém porque mesmo sem que nos apercebamos, também espreitamos pelo canto do olho e pensamos que aquilo vai custar uma pipa de massa a arranjar e que é pena que o gajo que está ali com as mãos na cabeça a olhar incrédulo para a chapa mal amanhada e para os faróis descaídos no chão não conheça a oficina do senhor Manel porque lhe arranjava aquilo por metade do preço. E é assim que de uma maneira geral o Português, mesmo sem qualquer formação no assunto consegue calcular de forma muito precisa no seu próprio entendimento o custo de seja o que for, desde os sapatos da gaja que atravessou a passadeira a correr e que até marchava passando pelo brinco do maricas que se vê logo que é ali sentado e rodeado de miúdas giras que não percebem que o gajo não engana ninguém até aos custos da manutenção mensal da pedra que cobre o centro cultural de Belém ou de quanto custa mudar as lâmpadas todas da sede da caixa geral de depósitos ou os estragos que provocaria um maremoto no Tejo caso os Lisboetas puxassem todos o autoclismo no intervalo do Gato Fedorento.

No que diz respeito a sermos especialistas de tudo e mais alguma coisa que ninguém tenha duvidas e se as tiverem basta entrarem numa tasca qualquer daquelas de esquina ao lado da paragem do autocarro ou da estação de metro mais perto e pedir uma bifana bem temperada ou um prego mal passado a regar com um copo de tinto martelado ou de verde pressionado ou mais vulgarmente com uma bejeca que vão ver a malta toda fluida a discorrer sobre o casamento de homossexuais do mesmo sexo ou lésbicas do sexo oposto da mesma forma que falam de terrorismo religioso ou do papa que dorme às escondidas com cuecas com pequenas suásticas estampadas e dos casos dramáticos do futebol no fim de semana passado que vão ter consequências no futebol do fim de semana seguinte.

Por fim e porque não todo o Português ambiciona ser consultor o que significa que alguém lhe reconhece finalmente o talento e que lhe paga bem pagada a ciência empírica que sempre teve para dar e que agora pode vender. Só os otários dão conselhos porque quem é esperto vende-os e uma vez mais não me venham os falsos moralistas dizer que sim e que não porque na realidade apenas ainda não conseguiram encontrar quem os queira ouvir e auscultar. Eu cá já fui pago para ser consultado e não me importava nada de o voltar a ser e atenção que daqui ninguém vai defraudado porque se há alguém que sabe e acredita no que diz esse sou eu e se tem dúvidas paguem para ver.

A música linda roubei à Jane que é ingénua e a deixou à mão de semear mas por ser boa pessoa vou por uma vez ignorar a lei basilar do consultor que é referir sem referenciar.


Jack Savoretti - Harder Than Easy

13 comentários:

Bongop disse...

LoL
Escrever sem vírgulas deixa o leitor a arfar!
:D

Tens toda a razão, nós somos orçamentistas mórbidos natos! Aliás esta vertente da personalidade portuguesa devia ser mais bem aproveitada por empresas lá de fora. Calculamos de imediato quanto é que vai custar o arranjo do carro do vizinho, quanto tempo vai ficar no hospital o puto que foi atropelado, ou quanto tempo vai levar a sogra a "bater a caçuleta"! Gostamos de saber tudo sem saber nada, o que conta é a nossa opinião de entendido... aliás adoro ouvir os trolhas a falar de como devia se orientado o Orçamento de Estado! Sim é verdade, até os nossos trolhas conseguem fazer um orçamento de estado para todo o ano, o orçamento mensal lá de casa não interessa!
Bem... podia ficar a aqui a divagar sobre este belo tema, mas já é tarde!

Abraço

LBJ disse...

Bongop,

As virgulas atrapalham e tens a vantagem de parares onde te apetecer :)

Pois as tascas de esquina são um manancial para quem se quer divertir e escutar as conversas é hilariante :) Podiamos realmente estar aqui a divagar muito tempo e um dia destes volto aos trolhas... :)

Abraço

Vani disse...

Logo no início, pensei, bolas, mas porque é que me torno numa exterminadora implacável quando me metem um volante na mão?...ihihih...

és tu sem vírgulas e sou eu com elas, ahahahah!

vou continuar a ler. :D

Vani disse...

Já agora, discordo. As vírgulas dão ritmo aos textos. Mas, depende dos textos e depende dos escritores. Só não me dêem Saramago, sff... :D

Vani disse...

È verdade que discorre a mania de que todos podemos ser especialistas de tudo. Por exemplo, os que nunca meteram um cu numa sala de aula, entenderem que entendem muito mais do que aqueles que atiram apagadores a putos histéricos. Ou, os medinas carreiras que muito falam sobre tudo e mais alguma coisa, mas que na realidade pouco parecem conhecer...dado que aqueles que realmente conhecem acabam sempre por apanhar em falso os que julgam que conhecem...

Vani disse...

Nestas situações, se estiver de muito mau humor, costumo dizer algo do género, não quer vir conduzir a sessão e eu limito-me a ser paga para assistir? eheheheeh...

Pronúncia disse...

Podes não ser especialista em coisa nenhuma, mas olha que deste uma excelente explicação sobre uma das nossas especialidades enquanto portugueses...

Bêjos

LBJ disse...

Vani,

Exterminadora implacável é um título que te fica bem… “You’ll be back” :)

Nada tenho contra as virgulas, não me as imponham que eu não as imponho a ninguém :)

Já eu não gosto de ser pago para assistir, se me pagam aturem-me ;)

Beijos

LBJ disse...

Pronúncia,

Nãso sou especialistas mas gosto mesmo de opinar como todo o bom Português :)

Bêjos

dyphia disse...

apaixonei-me pela musica! e por hoje é so o que tenho a dizer

LBJ disse...

Dyphia,

Até que enfim alguém comenta a música!!! :)

Depois volta a dizer o resto.

Beijos

Jane Doe disse...

Nunca mais te dou nada

-.-

LBJ disse...

CLBJ,

Dás dás que eu sei :P

Beijos