quarta-feira, 17 de março de 2010

Fabulando [1]


Januário era um galo que já não tinha a crista tão altiva como antigamente e a voz esganiçava-se para ainda acordar a vizinhança mas não queria de forma alguma dar parte de fraco e mantinha a galinhagem sempre de rabo encostado à parede, mais pelos arremessos e bater de asas do que pelos arrebites porque na realidade aquilo que tanto o orgulhara na juventude já pouco ou nada se levantava.
Um dia em conversa com um pato faroleiro da vizinhança que por ali passara para trincar umas maçãs que por aquela época caiam em abundância da velha macieira junto ao córrego, soube que havia não muito longe dali uma vaca nova que era um espectáculo de criatura com uns quadris arqueados e tetas rosadas espetadinhas e que não era nada esquisita não se importando de dar umas baldas a quem fosse que fosse com vontade de a pôr a mugir com gosto. Claro que o Pato se gabou de já lá ter ido e que a coisa tinha sido de tal forma que a bovina até esfregara com os cornos no chão de tanto prazer e o Januário que nunca fora de levar desaforo para casa disse logo que amanhã mesmo lá iria cantarolar à dita e que se ela fosse na conversa não só a poria de chifres bem enterrados como todo o lameiro ficaria bem lavrado com o arrastar do bicho. O pato que era esperto como um sabujo e percebendo que o galo só estava a cantar de galo quis apostar que ele nem a faria balir e o galo não teve outra hipótese sob pena de cair em descrédito com as frangas de aceitar a aposta.
No dia seguinte ainda o Sol não ia muito alto no céu, já o desgraçado do pato o esperava ao fundo do caminho com ar de ganso convencido e Januário lá teve que ir atrás dele certo que aquele seria o caminho que o levaria ao fim dos seus dias de soberania na capoeira e que para além de ir perder como paga da aposta aquelas três penas do cu que tanto se orgulhava ainda iria ter que aguentar com a história de fracasso que o malfadado anfíbio poria a circular. Mal chegado avistou logo a bela da vaca ruminando sobre a erva verde e que bela ela realmente era, toda branca com malhas negras bem dispostas e grandes olhos pestanudos, uma tesão noutros tempos e agora apenas uma comichão mas lábia ainda tinha e depois de um pequeno prefácio de dois dedos de conversa a animal lá percebeu ao que vinha e encolheu os ombros e piscou o olho em sinal que queria festa e o bom do Januário lá se encavalitou na sua traseira para pelo menos dar o seu melhor e depois foi um ver se te avias a vaca de repente desatou aos saltos e aos pinotes e o Januário acabou a ir pelos ares…

(Nota do autor: Estou cansado vou dormir acabem lá a história por mim sff.)


Fun Boy Three - The Lunatics Have Taken Over the Asylum

56 comentários:

Cirrus disse...

:D

Francisco Vieira disse...

sempre bem este gajo :-)

Storyteller disse...

Hummm...
Não é um texto ao meu gosto. Aliás, quando li a primeira palavra, o nome «Januário», lembrei-me logo de um Januário que conheço e que, por acaso, tem ar de galo vaidoso (embora não seja nada disso e seja uma excelente pessoa; aluado, é certo; sempre com um blusão de motoqueiro, também é certo; com ar de tudo menos daquilo que faz, ainda mais certo é; mas uma excelente pessoa!).

Não sei se pelo adiantado da hora ou se pela minha mania do preciosismo quando de seres vivos falamos (até mesmo de seres não vivo; ou meio-vivos, mais conhecidos por zombies; e até mesmo mais-ou-menos-vivos, como os vírus), mas tenho mesmo de fazer-te esta pergunta:

- Porque raio classificaste tu o pato de anfíbio, quando de uma ave se trata?


Entretanto, enquanto relia o teu texto, surgiu-me outra questão (preciosista, mais uma vez; talvez mesmo até snob!):

- Como é possível que duas aves (um pato e um galináceo) tentem (já nem digo consigam, dado que o texto parece uma capela da Batalha) copular com um mamífero?

Por outro lado, desde que vi o novo Atlas de Dinossáurios da Taschen, em que o Tyrannosaurus rex se apresenta ainda mais ridículo que a sua imagem costumeira, tudo me parece possível!

Com isto, vou dormir que amanhã (tecnicamente, hoje!) é 4ª feira, dia da semana que me agrada de sobremaneira!

Tchau! Acho que não é necessário repetir a macacada do costume sobre beijos e lambuzices!

Nota: reparaste como me esquivei a ter de propôr um final para isto?

Storyteller disse...

Enganei-me! Não é da Taschen. É de uma outra editora qualquer de cujo nome não me lembro.

Contudo, quem estiver interessado em conhecer o livro que nos apresenta os dinossáurios como nunca os vimos (ou ousámos imaginar, sequer) venha ter comigo à livraria do El Corte Inglés no próximo Sábado, por volta das 16h, que eu deverei andar por lá a ver se compro o dito atlas.

Era barato e bem catita. Cada dinossáurio mais ridículo que o anterior... nem imaginam como se julga hoje um Velociraptor! Um Velociraptor, meu deus! _Uma máquina de guerra altamente especializada. Um ataque perfeito, senhores! Reduzido a um espanador colorido... onde está a dignidade de um Velociraptor do Parque Jurássico?

Realmente, há investigadores com demasiado tempo livre entre as mãos...

Noya disse...

LBJ,
onde é para continuar? Aqui, na caixa de comentários?

Noya disse...

Story,
é anfíbio porque "anda" tanto em água como na terra (acho que é por isso).

Bongop disse...

Eu não vou continuar! Esse trabalho é teu, mas:

"Claro que o Pato se gabou de já lá ter ido e que a coisa tinha sido de tal forma que a bovina até esfregara com os cornos no chão de tanto prazer..."

Foi bonito! Conseguiste arrancar uma gargalhada às duas da manhã!
:D

Abraço

LBJ disse...

Cirrus,

;)

Abraço

LBJ disse...

Bom dia Francisco,

De vez em quando gosto de dar a volta por outro lado :)

Abraço

Storyteller disse...

Noya,
eu percebi. Mas apeteceu-me chatear o LBJ!

:D

LBJ disse...

Story,

Januário é bonito e apelativo, eu se tivesse um filho homem seria o primeiro nome que me viria à cabeça :)

Porque raio não posso classificar um pato de anfíbio. Ò tu que tens a mania que sabes tudo?

Relativamente à cópula faço minhas as palavras do pato: “Com muito jeitinho para não magoar”

Pois afinal parece que os dinossáurios eram penosos e um bocado amaricados :)

E já acordaste?

Sábado lá estarei no templo do consumismo dos pobres coitados sem gostinho nenhum e que não tem onde cair mortos mas que gostam de se armar e que tem uma inveja do caraças dos Espanhóis, para ver se topo uma maluca a desfolhar o atlas de uma editora qualquer que não é a Taschen, o que é sempre bom saber :)

Realmente os investigadores não tem nada melhor nem produtivo para fazer.

E voltando ao pato, o que é que pensas mesmo sobre o assunto? Também achas que é pouco própria a relação do bicho com uma laranja? E sim estou a meter-me contigo ou pensas que és só tu que podes :P

Beijos dos lambuzados
(PS. Dá lá a tua versão do final da história ò contadora de lérias, senão faço queixas à Isabela)

LBJ disse...

Noya,

aqui mesmo:)

Vamos fazer uma campanha para mandar fotos de patos à Story, parece que ela até está a fazer um concurso :)

Abraço

LBJ disse...

Bongop,

O que é que tu andavas a fazer às duas da manhã? :)

Dá lá a tua versão que eu estou curioso, não te acanhes :)

Abraço

LBJ disse...

Story,

:P

Mais beijos lambuzados

Storyteller disse...

Até parece que eu tenho medo de uma ameba descerebrada!

Vocês não têm coragem de me enviarem imagens de patos!

Ah!

:P

LBJ disse...

Story,

Para ajudar na campanha aqui fica um link útil:

http://images.google.com/images?hl=en&source=hp&q=pictures+about+ducks&rlz=1R2ADFA_enPT348&oq=&gs_rfai=&um=1&ie=UTF-8&ei=6cmgS4e9GMmD-QbI0eSlDA&sa=X&oi=image_result_group&ct=title&resnum=4&ved=0CBoQsAQwAw

Há 11.900.000 imagens à escolha :

Isabela, A Predestinada disse...

Fazes queixa do quê??? hein??

Storyteller disse...

LBJ,
vai mugir vacas, sim?
Humpf!

LBJ disse...

Isabela,

Faço queixas que a Story te chamou ameba e que disse que não estavas à altura dela e mais coisas que não te digo porque gosto de ti e depois ela é capaz de um dia descobrir quem sou e ir lá bater-me.

Já lhe enviaste patos?

Beijos

LBJ disse...

Story,

Pensas que sou algum pato ou quê?

Lambuzos

Storyteller disse...

Pronto, dedica-te às borregas, então!

Sempre são mais maneirinhas...

Isabela, A Predestinada disse...

A Story é uma borrega mal cheirosa... e tu és uma coisa de igual cariz porque não só es quexinhas, como eu sei perfeitamente que me odeias...
Eu se vos apanho um dia a geito dou cabo de vós...
Eu dou-lhe um pato dou, e é vivo pela garganta a baixo...

ui!!! olhem-me para este indice de violência verbal!!! ;) eu para vocemesse esforço-me.

LBJ disse...

Story,

Borregas? Não gosto, são salobras :)

Já começaste a receber patos? No link há uns de rabo para o ar que te ficam a matar :)

Lambuzos

LBJ disse...

Isabela,

De igual cariz é bonito, posso usar ao peito? Claro que te odeio e não é geito é jeito, já pareces uma que eu cá sei que envergonha o Português.

Violência que se veja não se ouve :)

Beijos de ódio

Isabela, A Predestinada disse...

A malta quando sente o medinho a mirrar as gónadas começa logo a corrigir o Português dos outros! Menina pá!!! menina!!!

A borrega não escreve bem porque a lingua nativa das borregas não é o português, é o borreguês, não quer isto dizer que ela não é uma borrega de subespécie calhau, porque é...

LBJ disse...

Isabela,

Gónadas de igual cariz?

A "geitosa" não é a tua borrega.

Borreguês parece ser complicado de aprender, há algum curso online?

Beijos

Storyteller disse...

A Isabela, a Predestinada, é como eu: abomina beijos, ó LBJ!

Pára lá com isso!

LBJ disse...

Story,

Agoras és ama seca da Isabela? Andas sempre a dizer que ela é pequenina mas pensava que era figurativo :P

Lambuzos

Storyteller disse...

A Isabela, a Predestinada tem 1,49m bem medidos. Com margem!

Isabela, A Predestinada disse...

1,54

eco disse...

a minha imaginação é muito limitada e infelizmente nao atinge essa fabula. nao é coisa que eu consiga imaginar. talvez até consiga, mas é uma imagem muito triste :o

:p
eco

Pronúncia disse...

Gostei deste texto tão bem fabulado... fez-me rir! :D

Bêjos

catwoman disse...

Pronto e para não variar eu vinha reclamar de uns factos, biologicamente mal explicados, mas a ´Story adiantou-se: isso do pato ser um anfibío só porque anda dentro de água é muito mal explicado e depois o pato e o galo andarem os dois a querer "galar" a vaca?! Bemmmmmmmmmm, não sei, não!
Eu sei que gosto do Gato malhado e da Andorinha Sinhá, mas isso são outras histórias.
O pato talvez não tivesse pata, mas dizes que o Januário tinha galinhas, o que é que ele queria com a vaca? e onde é que estava o touro?
E depois essa de tu começares e quem quiser que acabe, também não me parece muito boa, mas já reclamei demais hoje.
Portanto (ouvi dizer que esta é uma das palavras mais in, da actualidade)vou-me e tu dorme bem.

LBJ disse...

Story,

1,54.

Lambuzos

LBJ disse...

Isabela,

Não é 1,49?

LBJ disse...

Eco,

Fiquei curioso da imasgem que te passou pela cabeça :)


Beijos

LBJ disse...

Pronúncia,

Ainda bem que gostaste, estou a experimentar géneros ;)

Bêjos

LBJ disse...

Cat,

Isso é tudo muita falta de imaginação vês tudo a preto e branco, a vida é para viver a cores :)

Obrigado, durmo sempre muito bem às vezes sinto que durmo com anjos a meu lado.

Francisco Vieira disse...

Bom dia amigo!

Passei para te deixar um abraço, porque vou estar afastado do meu blog por um tempo.

Qualquer dia volto...

Tudo de bom para ti

luz disse...

nem me atrevo a comentar... :)

catwoman disse...

olha, olha isso dizes tu, que eu até sou uma pessoa muito "colorida" e lá imaginação bem, bem. fiquemo-nos por aqui...
:)
E tens a certeza que são anjos? Hum, tem cuidado não vá ser a pata que falta na tua história. ;)
E olha que eu ao tempo que não te incomodava não precisavas de ser logo ofensivo, bah.
Bjs.




















bjs.

LBJ disse...

Boa tarde Francisco,

Vai, segue o sonho :)

Volta quando puderes e os amigos aqui estarão.

Tudo de bom para ti.

Abraço

LBJ disse...

Luz,

Atreve-te! A vida tem muito mais piada quando somos atrevidos :)

Beijos

LBJ disse...

Cat,

Não sei, pareceste-me assim cinzentona, uma vez disseste-me que eras cota, deve de ser por isso :)
Sabes que infelizmente hoje em dia a tecnologia torna muitas vezes obsoleta a imaginação mas pronto acredito que sejas imaginativa, embora tenha que te confessar que a pessoa que conheço que se acha mais imaginativa, é a demência que fala por ela.

Os meus anjos podem ser negros mas sei que zelam pelo meu sono que nunca foi tão sereno :)

Desculpa se te pareci ofensivo, longe disso e não me incomodas, tu no fundo sabes que não me consegues incomodar.

Bjs

forteifeio disse...

Adorei meu amigo.ehehehe.

Forte Abraço

catwoman disse...

Ok, podias ter dito que ~passei a personna não grata, que eu teria deixado de visitar-te, agora chamares-me cota...
E garanto-te que não tenho falta de imaginação, talvez porque nem sou grande adepta das tecnologias de que falas, e a minha intençao era apenas brincar contigo, lamento que estivesses mal-disposto ou que tivesses tomado as minhas palavras como crítica, o que aparentemente não gostas. Não era essa a minha intenção e eu até sou adepta das fábulas.
Resta-me despedir e desejar que mudes a cor dos teus anjos porque me parece que tu é que estás muito negativo.
bjs.

LBJ disse...

Forte,

Bons olhos te vejam, tinha saudades tuas, como estás tu meu amigo?

Forte Abraço

LBJ disse...

Cat,

Não sejas assim, “personna non grata” ? A propósito de quê. Eu não te chamei cota, foste tu que me disseste uma vez que eras :)

Também não sei onde foste buscar essa de estar maldisposto, nem vi nada das tuas palavras que pudesse tomar como criticas e eu até gosto de criticas quando são inteligentes e construtivas e de quem sabe o que diz, sabes que eu tive a minha dose na vida de criticas de quem só sabia dizer mal sem nada construir e isso deixou-me imune à maledicência e ávido de ouvir quem me critica para me melhorar, o que me parece ser o teu caso, por isso não podes estar mais errada.

Ainda bem que gostas de fábulas que esta será para continuar.

Não te despeças e deixa lá a cor dos meus anjos porque eu gosto que sejam negros e selvagens e imprevisíveis.

Bjs

Gata2000 disse...

Eu gosto de finais felizes, especialmente em fabulas, que me remetem para a infância, que tenha sido boa ou má, as fábulas contadas à hora de deitar eram sempre uma festa, um conforto.
Por isso, para mim o galo foi atirado ao ar e caiu de pé! a vaca fez-lhe o favorzinho de gritar com prazer para a quinta toda ouvir gemer, e assim o Januário pode ficar tranquilo até ao fim dos seus dias, de cabeça erguida, ainda que lhe caiam as penas!

Bjs e saudades

LBJ disse...

Gata,

Gosto mais do teu final do que do meu, mas eu sou uma má rês de alma negra :)

A fábula vai continuar por uns tempos, se gostas volta um dia destes :)

Beijos

Vani disse...

LOOOL, eu imaginei um final assim como o da Gata. Aquele anfibio violador de ruminantes não pode ficar sem troco, não senhora.

Agora um cão chamado horácio?... =D tb te lembraste logo do cavalinho da clarabela, foi? =D

E a vaca encontrou um touro e foram felizes para sempre, fim.

LBJ disse...

Vani,

Violador? Um galo a violar uma vaca? Faz-me lá um retrato robot do criminoso, sff.

Andas a ler muitos Tí Patinhas :)

Beijos

Storyteller disse...

Se não me engano, a Vani chamou violador ao anfíbio. Ou seja, ao pato...

Vani disse...

Bigados, Story! =D

Qual galo, tadinho do galinho tremeliques, só inspira penas.

O anfíbio, o pato! Esse é que merecia uma boa lição de moral!

Não te esqueças da moral da história! Fábula que se preze tem de ter uma. Nem que, se fores pato não violarás uma vaca. E se fores vaca, encontras um touro e vives feliz para sempre.

E que cena é essa de andar a denegrir a imagem da senhora dona vaca, hãn, sô pato??

Xi, não gosto mesmo nada desse pato.

LBJ disse...

Story,

Pois foi, mea culpa que não soube ler.

Aproveito para mandar beijos lambuzados

LBJ disse...

Vani,

Não dês razão à Story sff...

O Pato é sacana e logo bom rapaz, deixa lá o pato patacoar em paz...

Esta fábula tem uma moral escondida, tão escondida que não se dá por ela :)

Beijos