quarta-feira, 16 de junho de 2010

O Privilégio do Disparate – (IN)Mundanismos [7] – O admirável mundo novo


Odeio as vuvuzelas! De repente alguém me disse que o mundo podia ser visto a 3 dimensões e que nem precisava de sair da sala ou da cozinha ou mesmo da casa de banho para o ver assim de forma tão profunda. Odeio mesmo as vuvuzelas! Como é que de repente sem que tivéssemos dado por isso o mundo ficou a 3 dimensões é um mistério com algum relevo e passado o trocadilho forçado parece que a explicação é antiga mas só agora depois do tal Avatar se percebeu que nos fazia mesmo falta dar outra dimensão à coisa. Mas é que odeio mesmo muito as vuvuzelas! Parece no entanto que não é apenas com os nossos bonitos olhos que podemos ver o mundo a 3 dimensões, serão necessários uns óculos polarizados que não se devem confundir com polaróides que são aquelas máquinas que tiram fotografias instantâneas sem serem telemóveis nem com polinizações que só serve para me fazer espirrar e besuntar o monitor com nhanha viscosa. Já vos disse que odeio as vuvuzelas? Para o mundo poder ser visto a 3 dimensões fará ainda falta uma televisão mais especial que aquela que tanto trabalho deu a convencer a dita que preferia ir de férias para Torremolinhos a comprar com a promessa que aquilo não ia parecer enorme na sala e que até seria mal os vizinhos já todos terem e agente não. Odeio as vuvuzelas tanto mas tanto que quando ouço uma até me arrepiam os pintelinhos da nuca. Aqui o escriba que para quem não sabe até ganha a vida com estas coisas tecnológicas e que devia estar caladinho e aplaudir que o mundo se queira ver agora a 3 dimensões, não consegue deixar de achar piada a imaginar a malta toda sentada na sala com ar de imbecil de óculos à José Cid escarrapachados no nariz a olhar para dentro de um aquário. Penso que já vos terei dito que odeio as vuvozelas! Sim, porque o efeito de uma televisão a 3 dimensões é muito parecido com o de olhar para dentro de um aquário, embora com a vantagem de que não é necessário dar de comer aos peixes nem limpar o verdete do vidro.

Agora gostaria de aproveitar a oportunidade e comunicar ao mundo que odeio as vuvuzelas e que sinto uma vontade enorme de as enfiar pelo cu acima a quem se atrever a tocar uma à minha frente e posso garantir que isso terá um efeito tridimensional que dispensará os óculos ou outro investimento mais avultado e aqui fica o aviso que quem avisa amigo é.

No vídeo abaixo, não foi maltratado nenhum animal e acima de tudo nenhuma vuvuzela foi tocada.

Caetano Veloso - Luna Rossa

5 comentários:

Pronúncia disse...

Ah! É verdade... já te disse que odeio vuvuzelas?!


(Mas gosto da musiquinha)

Bêjos :)

Bongop disse...

Já te disse que não odeio as vuvuzelas?














ABOMINO!
É um instrumento de tortura que substituiu a emoção num estádio de futebol, pelo som um enxame de abelhas africanas.

Abraço silencioso...

Storyteller disse...

Não suporto as vuvuzelas! Estou com o Bongop: parece um enxame de abelhas. Não assassinas, que com esses instintos fico eu quando ouço as vuvucoisas!

O mundo pode ser visto a três dimensões, mas, na realidade, é vivida a 4D!

PAra adiantar-me já... belheque!

Storyteller disse...

Já agora... porque raio foste tu buscar esta versão? É pavorosa! Além disso, o Caetano Veloso não canta nada bem em italiano.
Esta tua mania dos cantores brasileiros, pá...
Belheque x 3!

eco disse...

adorei xD

eco