quinta-feira, 24 de junho de 2010

O Privilégio do Disparate – (IN)Mundanismos [8] – O admirável mundo novo edição de coleccionador


Ainda odeio as vuvuzelas! E depois desta surpreendente declaração de sentimento gostaria de anunciar que no final fui fraco e acabei por ceder às insistentes campanhas de arregimentação que vários dos ilustres visitantes deste blog me moveram e fiz-me parte daquela coisa que dá pelo nome de Facebook.

Olho-me agora de forma diferente ao espelho, mas se calhar é porque com esta idade ainda consigo ter efervescências borbulhosas no nariz o que não deixando de ser notável se nota porque fica tudo vermelho com uma cabecinha esbranquiçada daquelas que dá vontade de espremer. Por outro lado e regressando ao Facebook com ajuda e até um bocado empurrado criei a conta no meu nome impróprio que muitos sabem uso legitimamente com propriedade e desatei-me a fazer amigos e ao fim de dois dias já tinha mais de trinta o que me deixou contente e orgulhoso porque descobri que além de conseguir descobrir trinta otários que me querem como amigo ainda por cima me deixam coscuvilhar pormenores da sua vida intima.

Pois tenho que dar o braço a torcer só um bocadinho senão dói muito que aquilo até é giro e é um sitio onde há mulheres boas ou melhor dizendo que eu gosto de parecer espiritual, boas mulheres. Por outro lado fiquei um bocado decepcionado porque toda a gente me dizia que ia conseguir rever a malta toda que tinha andado comigo na creche e na pré-primária e fartar-me de gozar porque está tudo velho e gordo e afinal não encontro ninguém. Das duas uma ou o pessoal do meu tempo tem todo mais juízo que eu e dedica-se a coisas mais interessantes como por exemplo outra coisa qualquer ou então um dos 6723 indígenas que me aparecem na lista é mesmo o Zé Carlos e eu não lhe consigo reconhecer o nariz.

Agora o que me parece mesmo deprimente é os grupos… Muito gostamos nós de molhadas e quanto maiores melhores. Mas mau mesmo são os grupos revivalistas que querem fazer recordar quão jovens e tótós éramos todos os que nos juntávamos no tal café que tinha o tal empregado que era meio coxo e que se calhar até já morreu ou então é bem velhote e depois aparece sempre o iluminado que diz que não que ainda na semana passada o viu no supermercado a comprar um pacote de flocos e um queijo fresco e que até estava fino. Depois claro vêem as fotos carcomidas ou com aquelas cores estranhas dos setentas ou dos oitentas e vai de comentar com os olhó e olhá e às vezes até se deixam escapar aquelas coisas que até nem dão jeito que toda a gente fique agora a saber depois de tantos anos a tentar esquecer.

Mas pronto estou no facebook mas continuo a odiar as Vuvuzelas.

Nota do autor: Aquilo lá no Facebook funciona um pouco como um apêndice deste blog e um apêndice para quem não sabe e eu descobri muito recentemente por más razões é algo que ou não serve para nada ou ainda não se sabe para o que é que serve. A diferença é que lá é assim a modos como um lugarzinho com direito de admissão onde o bar está sempre aberto e todos sabem o nosso nome e é verdade que sendo um lugar comum não deixa de ser verdade. Assim quem se quiser amigalhar por lá pode sempre aparecer mas desde já aviso que só serão aceites pessoas reais ou que consigam provar que o são e neste caso a única excepção é aquela menina de Braga que nunca ninguém viu mas que se supõe que existe e sim tu é de ti que estou a falar...


Kid Creole & The Coconuts - I'm A Wonderful Thing Baby

4 comentários:

Pronúncia disse...

Aquilo tem de tudo, menino Jesus! Até tem mais que na farmácia...

O meu eu virtual, que é como quem diz blogueiro, é bem mais fraco que o meu eu real e lá aderiu a essa modernice. Por enquanto o eu real resiste, mas... existe!
E enquanto o eu real resistir, pelo FB só vai aparecer mesmo o meu eu virtual... obrigada pela excepção! Gostei :)

Bêjos

Storyteller disse...

O que é pena é aqui no Blogger não haver o botão «Like» como há no FB para quando gostamos do post mas estamos sem pachorra para escrever um comentário de jeito...

Storyteller disse...

Adenda ao meu comentário anterior: tu tens uma capacida infinita para desencantar músicas estranhas interpretadas por personagens ainda mais estranhas.
Cada vez me surpreendes mais (o que não consegui ainda perceber se é bom ou antes pelo contrário...).

Bongop disse...

Sim... eu reparei num Jesus lá no FB... !
(Achei estranho, achei que eras do tipo que não te meterias por lá...)
Eu também resisti um pouco, mas pronto, tive de ser vizinho da minha mulher, como tal...
LoL