sexta-feira, 10 de julho de 2009

É a vida


Costumo dizer que a melhor forma de resolver um grande problema é decompô-lo em problemas mais pequenos e que os problemas devem ser resolvidos em fila indiana e não em pistas de piscina. Há no entanto alturas da vida onde por muito que se tente estas teorias não conseguem ser aplicáveis e que tudo parece acontecer ao mesmo tempo como se de repente fossemos um íman de acontecimentos que nos ultrapassam em velocidade e nos deixam parados sem saber o que fazer ou com vontade de correr numa direcção com o risco de ficarem para trás decisões que vamos lamentar mais tarde termos deixado escapar naquele momento certo de oportunidade de resolução.

Claro que nos piores momentos da vida, tudo nos parece ampliado em importância e os pequenos desaires são vistos como grandes dramas e os problemas realmente graves como impossíveis, injustos, imorais, ingratos e sentimo-nos como folhas soltas no vento incontrolável da vida, como sementes sem futuro de crescimento, como bolsas de ar vazios de conteúdo, seres impotentes à espera da ajuda do tempo.

Este será, numa visão minimal e egoísta da vida, o meu ponto negro, aquele que se me oferece sem saída, forçado a decidir no calor do momento, o instante que sentimos que poderemos lamentar para o resto da vida e aqui me revejo a contemplar um horizonte indistinto que me puxa a dar o passo em frente na beira do precipício e abro os braços na fé que as asas vão nascer e crescer e aprenderei a voar antes de tocar o fundo do meu amanhã.

Àqueles que me sentem em falta, não me levem a mal, espero poder voltar em breve.


Michael Bublé-That’s life

26 comentários:

Ana GG disse...

That' life!

Sinto-te a falta!
Espero que voltes breve...

Pronúncia disse...

LBJ, a minha avó era uma mulher sábia (nem ela sabia o quanto) e quando via a sua neta preferida (no caso, eu), mais tristita dizia-me sempre:

- Minha filha! Não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe!

Faço minhas as palavras dela, que não são dela, mas foi com ela que as aprendi.

E tu tens razão, que tal parares um bocadinho, respirares fundo e começares por despedaçar o Grande Problema em Problemas mais pequenos e depois atacares um de cada vez... eu sei que não é fácil, mas parece-me uma boa política.

Beijinhos

Jane Doe disse...

Salta.

As asas vão mesmo crescer, e tu vais mesmo voar. Vais conseguir estreitar a vista para ver o fundo, vais sentir o vento golpear-te o rosto até à exaustão das lágrimas, mas apenas um momento porque voar é-te instintivo e e no profundo de ti tu já sabes.

E no meio da pista de piscina há a água que no fundo vai acabar por te refrescar.

Porque...

Tudo vai correr bem.

Fada disse...

LBJ:

Aguardamos-te. Em jeito de pista de aterragem, para as tuas asas azuis. :)

Eu prefiro dizer que não existem problemas. Mas sim desafios que se nos colocam. E que se surgem, é porque seremos capazes de aprender a lidar com eles. Seja a derrubá-los, seja a contorná-los. Sem deixar que um pequeno insecto se torne num monstro impiedoso.

Beijitos :)

Treze disse...

LBJ,

parece que ultimamente sempre que aqui venho é para um até já... :s

Escreveste da forma mais latente aquilo que não queria escrever. Neste momento gostava realmente de estar numa posição de poder decompor em problemas mais pequenos os problemas que se avizinham.
E aqui falo por mim - porque não posso falar por ti - mas sabes que mais? Não há outro remédio mesmo se não chegar até ao momento M e ver como será daí para a frente.

Boa sorte e força!
Que voltes mais forte e melhor. Abraço.

Who Am I disse...

Parece-me que as asas já tens...falta apenas teres consciência de que sabes voar :)

beijinho

Vani disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAH! Ainda não li o texto nem ouvi a bubblezada, mas avanço já o seguinte: se há expressão que mais odeio é essa mesmo...é a vida...acompanhada de encolher de ombros ou pancadinha paternalista...arghhhhhhhhht! Não a suporto! Soa-me a conformismo, a comodismo...é a vida, o c.!!!! Não tem de ser!!!
E agora vou ler o post ihihihhi.

Vani disse...

Mas sim. Conheço bem a sensação que descreves. Não, não somos imãs de desgraçadas...simplesmente tudo o que antes era de somenos importancia, passa a ser uma tempestade...e tempestade após tempestade, as forças e a pachorra vão-nos abandonando.
Mas, depois de todas essas tempestades, vem sempre a bonança. Sempre.
Acontece que,é muito mais fácil deixarmo-nos embalar no mar enraivecido e deixarmo-nos ir pelos rápidos da auto-punição abaixo...é dificil manter a cabeça à tona de àgua, o suficiente para conseguir respirar uns laivos de sanidade...mais dificil é reerguermo-nos. Mas não é impossível. Luta. :)

Vani disse...

onde se lê desgraçadas deve-se ler desgraças...aiii...sorry

Vani disse...

Sei que, qd nos sentimos assim, procuramos lá fora uma palavra de compreensão, ou de força, ou outra coisa qq, algo, que nos toque que nem um relâmpago e TAU, sentimo-nos de novo nós. Mas, não existe essa palavra...pelo menos vinda de fora. Vem sempre, sempre de dentro.
O que te posso dizer é que tomes atenção aos sonhos que a noite te trás. Ensinam-nos muito sobre nós mesmos (quando não são daqueles em que és a princesa leia ou uma super-heroína que voa ahahahah - e mesmo esses... ;-) ).
Gostava de ter a palavra ou frase mágica pra ti, mas é algo a que só tu poderás aceder.
Não é a vida, não. Não tem de ser. Há coisas que acontecem porque o ciclo de vida assim o determina, mas nem por isso devemos resignar-nos ou encolher os ombros e deixar que nos tirem os sonhos.

mf disse...

http://icanread.tumblr.com/post/139848073/by-pippasporch

forteifeio disse...

É nestas alturas que é necessário ouvir segundas opiniões válidas porque a montanha poderá ser uma pequena duna que fácilmente se irá transpôr.

abraço

Vani disse...

É como diz o forteifeio...as montanhas parem ratos, às vezes...

Pearl disse...

A consciência brutal que desmonstras nestas publicação é arrebatadora, é um caminho sem volta sabes disso!


beijos

LBJ disse...

Ana,

Respostas com atraso, mas vou voltando :)

Bêjos

LBJ disse...

Pronúncia,

A tua avó era sábia, parece que todas foram :)

O problema dos problemas é que vão sempre sendo substituídos por outros, como se o mal que não dura sempre mas evolui, já o bem é volátil e tende cada vez mais a rarear, mas há sempre um amanhã :)

LBJ disse...

Jane,

Obrigado.

Achas que vou virar morcego? :D

Eu não quero cair na água ;)

LBJ disse...

Fada,

Essa é uma excelente perspectiva de vida, assumir os problemas como desafios :)

Beijos

LBJ disse...

Treze,

Vamos ver se á desta que consigo regressar em força :)

Quando não avançamos para os problemas, eles avançam para nós :)

Abraço

LBJ disse...

WAI

Há aves que tem asas mas não conseguem voar, não basta querer…

Beijinhos

LBJ disse...

Vani,

Eu também não gosto, usei com um intuito irónico :)

Não me vou resignar e sei que a força tem que vir de dentro, mas é bom encontrar apoios, a vida é mais fácil quando não a fazemos como navegadores solitários 

LBJ disse...

Hedgie,

;) Para ti também :)

LBJ disse...

Forte,

Sim é importante ter ajuda para por vezes avaliar em pequenez aqueles que pensamos ser grandes problemas.

Um abraço

LBJ disse...

Pearl,

Sim o caminho tem que ser sem volta.

Um Beijo

Vani disse...

Navegador solitário é o título de um dos meus livros favoritos :)

LBJ disse...

Vani,

:)

Mesmo os navegaores solitários aportam de quando em vez :)