quinta-feira, 30 de julho de 2009

Politiquices e cócegas no umbigo


Quem por aqui passa regularmente sabe que não costumo falar de politica. Não que não tenha consciência cívica ou opinião sobre o assunto, mas apenas porque há muito que me desencantei com esta classe de governantes e opositores e outros insectos que gravitam em torno do tão apetecível naco que é o poder. Sou como aquele que tendo sido um crente devoto, de repente, tem uma situação de vida tão injusta, tão inexplicável, tão imoral que deixa de acreditar em Deus, porque a alternativa seria ter de o classificar como aldrabão, cruel e trocista.

Sempre achei que aqueles que abraçam as causas do serviço publico o deveriam fazer por devoção, vocação ou aptidão, nenhum estudante teria acesso a um curso de medicina, como futuro responsável pelo bem maior que é a vida humana, sem que testes de aptidão comprovassem a sua vocação, da mesma forma para se fazer carreira na vida pública, como politico e possível gestor e governante teria que haver da parte de quem escolhe esta carreira uma verdadeira devoção e sentido de causa e uma vez mais testes que comprovassem e legitimassem essa carreira.

Assumindo como legitimo a possibilidade de alguém poder ter um harém, tem que se aceitar que o staff de suporte ou sejam mulheres ou eunucos, a imoralidade de uma situação é consequência na outra. Da mesma forma que a quem começa a trabalhar numa fábrica de chocolates lhe é permitido e incentivado a comer o que lhe apetecer, para que enjoe depressa.
Tudo isto para dizer que aos políticos deveria ser dada uma retribuição justa pelo serviço que prestam à população e ao País e que lhes permitisse viver uma vida muito confortável e ponto… tudo muito bem definido, sem qualquer acesso a fontes externas de riqueza e claro bem fiscalizado, com penas duras, duríssimas para quem cometesse crime. Não quero dizer que os políticos devessem ser eunucos engordados a chocolates mas que fossem incorruptíveis por falta de necessidade e excesso de risco.

Em Portugal, temos o que temos e se temos tão pouco pelo menos temos políticos que proporcionam ao povo algo extremamente valioso que é a vontade de rir e a quem vive de fazer caricaturas uma fonte de inspiração quase inesgotável e de vez em quando aparecem grandes talentos que agarram em toda esta fantástica matéria prima que tanto abunda e moldam-na em verdadeiras pérolas de humor e foi o que fizeram estes senhores, companheiros da blogoesfera e que tenho muito, mas mesmo muito prazer de ajudar a divulgar:

http://projectosdiferidos.blogspot.com/2009/07/don-corleone.html




Projectos Diferidos-Don Corleone

10 comentários:

Vani disse...

a fazer publicitade??? qual é o cachet que te prometeram?? ;-)

Vani disse...

perdão, publicidade...

Sylvia FX disse...

Olha aqui está uma boa frase para o nosso PM:
"Shut the fuck up!"

Hahahaha muito bom o sketch!

Storyteller disse...

Brutal! O que eu me ri!
muito bom, mesmo!

Vani disse...

Brutal, mesmo LOOOOOOOOOOOOL! DEmais, demais, demais, já partilhei e já nos escangalhámos todos a rir :D

Pronúncia disse...

Sábias palavras e o sketch está um luxo! Já me ri a bom rir...

afectado disse...

Espectacular!!!!

Ana GG disse...

Mas que bela descoberta fizeste.
Fartei-me de rir, como é óbvio.

"Shut the fuk up" é mesmo a frase adequada ao nosso 1º.

;)

forteifeio disse...

Gostei do texto e acho o video uma pérola. Muito bem estruturado. excelente

Fada disse...

:D

Vi este texto através da Vani, que também o publicitou!

E partilho contigo a opinião acerca das politiquices e outras merdices acabadas em "ices"... :p

beijitos :)