segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Diário de um louco impoluto – Dia 15



Aproximo lentamente os meus lábios dos seus. A aproximação dura o momento de uma eternidade que se estende para além da compreensão do tempo e quando o toque acontece imagino que todos os pássaros do mundo pararam de bater as asas suspensos apenas na definição de uma película fotográfica que se revela em mim. Envolvo o seu lábio inferior nos meus partilhando a dádiva de uma suave humidade e depois os meus lábios estão dentro dos seus e os seus dentro dos meus e as nossas línguas ganham vida própria numa valsa dançada sem regras. O beijo é uma onda que avança no nosso mar de desejo e que no seu espraiar nos nivela as dunas de qualquer dúvida, juntam-se na dança dois pares de mãos em carícias sobre o que ainda não é pele e ambos sentimos que queremos que seja pele e de uma forma natural estamos nus sentados sobre a cama, os troncos colados envolvidos em abraço e há apenas uma boca que entre as duas respira o mesmo ar afogado num sufoco urgente de paixão.

Olhamo-nos agora sem beijo, ambos sabemos que já não podemos parar e que seremos apenas corpos sem vontade ao sabor da vontade do tesão tenso que nos aura da pele e ela deixa-se cair puxando-me para cima de si e eu encaixo-me entre as suas coxas e procuro encontrar o caminho guiado pela sua humidade que se funde e atrai a minha e a penetração acontece sem dor e a cada milímetro que entro dentro dela sinto-me mais parte de um corpo que é agora uma extensão do meu. Ouço o seu suspiro, a brisa do seu respirar e a pressão do seu interior e oscilo suavemente os quadris no receio de entrar numa espiral sem controlo e cadencio o ritmo tentando concentrar-me apenas no prazer que lhe vejo nos olhos e sinto as suas mãos apertarem-me as nádegas que empurra com força fazendo-me entrar ainda mais no seu calor e a sua respiração acelera e foge-lhe dos lábios um misto de som significado sem significação e os olhos perdem-se e pressinto a urgência do seu orgasmo e pressiono-me até ao fim contraindo o sexo até sentir o derramar do êxtase que lhe confirmo no olhar e saboreio a acalmia que agora lhe irradia do corpo mas eu não quero parar e ela sorri e volta a puxar-me para si e incentiva-me a acelerar o ritmo, diz-me sem palavras que agora vai esperar por mim e espera e acabamos inertes esvaídos num beijo com outro sabor.

Estamos agora deitados lado a lado e falamos da inconsciência que nos tomou e sossega-me porque não corre o risco de engravidar e que está pura de doenças por castidade e eu digo-lhe o mesmo com a certeza de que não acredita nas minhas palavras e vejo que as lágrimas lhe invadem os olhos e pergunto-lhe se está arrependida e diz-me que não, que não ligue e que está feliz mas que não pode deixar de antecipar um sentimento de eminente abandono e chamo-lhe tonta e puxo-a para mim num outro beijo e no desejo de partilhar de novo o seu suor e desta vez é ela que se penetra em mim e que se cadencia nos movimentos que lhe fazem oscilar os seios que acaricio e que lhe beijo alternadamente, sou controlado pelo seu cavalgar, espectador privilegiado do acontecimento do seu prazer, demasiado excitado para a acompanhar vejo-a atingir os seus cumes uma e outra vez.

Sai de mim saciada e devora-me com um beijo, os peitos erectos que se roçam nos meus e sinto a sua mão que se aperta no meu sexo e sorri-me com um brilho traquinas no olhar e procura-me entre as pernas e toma-me na sua boca e do resto apenas me resta uma memória rendida.


Procurava a música ideal para este post, quando num comentário a minha amiga Storyteller a simpática miúda que tem um carro lindo decidiu deixar-me uns versos de uma canção do Angelo Badalamenti, ignorante e curioso e totalmente devoto à santa Laura Palmer fui à procura e foi paixão ao primeiro acorde, por favor ponham a música a tocar e releiam o texto. Não tenho palavras para te agradecer querida amiga…




Tim Booth and Angelo Badalamenti - Fall in Love With Me

29 comentários:

Storyteller disse...

De uma intensidade tremenda! Fiquei cheia de calor a lê-lo, pela primeira vez. A segunda, com a banda sonora a acompanhar, tornou-o num texto lindo de morrer... de paixão!
Estava à espera de algo forte, mas não tão intenso. Demasiado lindo (se é que as coisas bonitas podem ser demasiado bonitas).
Apaixonante!

Quanto à referência a mim, não tinhas necessidade alguma de o fazer. Mas muito obrigada, do fundo do coração. E fico feliz por teres gostado desta música. É uma das músicas da minha vida e tenho-a no meu telemóvel, reservada apenas a uma pessoa muitíssimo especial (tal como a música).

Mais uma vez, muito obrigada por partilhares connosco, os teus leitores, a tua intensidade.

Excepcionalmente, pois não sou uma miúda beijoqueira, envio-te um beijo. Como tal, cá vai:

Um beijo!

Francisco Vieira disse...

Dois sentimentos (perdoem-me os olhos mais pudicos):
Entesuaste-me e aqueceste-me a alma :-)

Pax disse...

Desculpa se isto não for muito coerente mas, mais uma vez, vi o filme no texto :)

Anónimo disse...

As figuras desenham-se nos traços de carvão.Nítidos.
E é rubro o céu que os acolhe.

rosebud disse...

M.Jesus

O anónimo sou eu a Rose...
E o comentário é a continuação do anterior.

Bongop disse...

Mais uma boa página do teu diário!
Continua, que vou lendo.
Como diz a Storyteller... intenso!

catwoman disse...

Bem, para mim está bem escrito, transmite toda a emoção, mas é a estória, dentro da estória; não me parece que seja a tua história. Ou talvez eu seja demasiado ciníca e veja nas tuas palavras o amor romanceado que nos é transmitido pelos filmes e não pela realidade.
Mas gostei do texto, sem dúvida, bem escrito, como já disse, sensorial, sem dúvida que desperta todos os nossos sentidos.
Beijinho.

Fairy disse...

Fantástico mesmo... Texto mesmo brilhante. A forma como o descreves dá mesmo para imaginar a acção a desenrolar-se à nossa volta, é impossível não nos envolvermos... Cativante. Muito bom como já sabes :)
Beijo*

forteifeio disse...

Quentinho, muito quente mas intenso e belo. Acho que tens de ir a uma editora. Vá seu louco faz-te à estrada, aperta as calças que estás nú, enxuga as lágrimas da miúda e faz-te à rua, que o futuro está aí.

Forte Abraço

LBJ disse...

Storyteller

Fico derreado pelas tuas palavras :)

Claro que te tinha que referenciar, a música é perfeita e invejo esse alguém especial que te liga :)

De forma alguma excepcionalmente te deixo um par de beijos

LBJ disse...

Francisco,

Primeiro aqui podes expressar-te como te apetecer:)

Segundo este meu buraco é livre de preconceitos, quem não gosta não precisa de voltar :)

Terceiro fiquei contente por te ter provocado essas sensações e que venha o mais pintado dizer que não nos são agradáveis independentemente da idade ou do género :)

Grande abraço

LBJ disse...

Pax,

Não sabes o prazer que me dás por me dizeres que viste as imagens no texto :)

Beijos

LBJ disse...

Rose,

Eu tinha percebido que eras tu, tinha o teu cunho :)

Às vezes tenho esta ambição de ser pintor por palavras, talvez por ser incompetente na arte do traço e tens toda a razão nalguns textos gosto de imaginar que dou pinceladas largas e que esboço quadros e neste quís ser nitido de traço cuidando do pormenor :)

Beijos

LBJ disse...

Bongop,

Vai lendo, o texto de quinta-feira encerra esta série :)

Abraço

LBJ disse...

Catwoman,

Estes textos são ficção e sendo autónomos vão contando uma história, no Domingo farei uma sintese desta série que termina no próximo texto e poderás ler toda a sequência e ir percebendo a história que corre dentro da história :)

Beijos

LBJ disse...

Fairy,

Obrigado, repito o que disse à Pax :)

Beijos

LBJ disse...

Forte,

Estou a pensar mesmo nisso, aliás se alguém me pode ajudar ou dar conselhos, são mesmo bem vindos :)

Abraço Forte

Pronúncia disse...

E venha o 16... ;)

LBJ disse...

Pronúncia,

Quinta-feira aqui estará :)

Beijos

Jane Doe disse...

Epah, cheguei atrasada, podes-me bater se quiseres, mas bate e foge, porque quando me batem eu bato de volta!

Intenso. Muito intenso.

E com a qualidade que sempre nos habituas!

Adoro ler-te!

Fátima disse...

Eu nem tenho palavras!... aliás tenho,uau!!

Eu quando for grande quero escrever assim ;)

Continua que estás no bom caminho.

Bjs

LBJ disse...

CLJ,

Tarde? Bater? Onde? Quantos são?

Obrigado

Beijos

LBJ disse...

Fátima,

Uau é uma bela palavra :)

Beijos

AnaMar (pseudónimo) disse...

Intenso. Na beleza singular de quem não tem medo de usar as palavras. De (re)inventar emoções. Histórias vividas ou imaginadas, que interessa, se são maravilhosamente narradas?

Presa, viciada neste espaço desde a descoberta.

Abreijo

LBJ disse...

AnaMar,

Fico feliz por achares que foi uma feliz descoberta :)

Beijos

13 disse...

LBJ,

tu tem cuidado que não tarda tens a anónima à perna novamente... :D

As oportunidades agarram-se ou recuperam-se, nunca se perdem. Nunca te esqueças disso.

Abraço.

PS: Antes de vir ao blogue lembrei-me que nunca mais fizeste um daqueles questionários... :)

Jane Doe disse...

LBJ:

CLJ... Hmmm Ainda me vais fazer mudar de nick ou criar outro, à tua conta!

É que gosto!

Pax disse...

"Não sabes o prazer que me dás por me dizeres que viste as imagens no texto"

Prazer és tu quem dás, ao partilhares textos destes! :)

Fada disse...

Sem palavras...

Só mesmo duas: Arrepiante e fabuloso!

Adore, LBJ, adorei!!!!!!!!!!!!!!

:)

Beijitos