quarta-feira, 27 de maio de 2009

Cheiro de nós



Alguém me disse, numa forma assim tão natural referindo-se a algo da importância que se dá às coisas que se esperam sem pressas, que lhes faltava ainda ganhar o cheiro a corpo.
Aquela frase tão simples e tão pura ficou a baloiçar-me na mente como se de repente todas as minhas faltas e ausências pudessem ser explicadas na força de tão poucas palavras.

Falta-me ainda ganhar o cheiro a corpo, falta-me ainda perceber que o cheiro do meu corpo pode ser sentimento de falta de outro corpo, falta-me ainda destilar a soma de dois cheiros a corpo como o cheiro de um corpo só.
Se não posso explicar o amor ou bastar-me em desamor, posso entender essa falta de ganhar ainda o cheiro a corpo como a forma física de não o sentir.

Falta-me ainda ganhar o cheiro a corpo e falta-me ainda poder perder este cheiro a corpo por entre os corpos dos nossos cheiros .



A frase roubei a quem tem a capacidade de dizer assim estas coisas fantásticas sem se dar por isso.
Elba Ramalho e Alceu Valença-Trem das ilusões

14 comentários:

Who Am I disse...

"...Há cidades esquecidas pelas semanas fora.
Emoções onde vivo sem orelhas
nem dedos. Onde consumo
uma amizade bárbara. Um amor
levitante. Zona
que se refere aos meus dons desconhecidos.
Há fervorosas e leves cidades sob os arcos
pensadores. Para que algumas mulheres
sejam cândidas. Para que alguém
bata em mim no alto da noite e me diga
o terror de semanas desaparecidas.
Eu durmo no ar dessas cidades femininas
cujos espinhos e sangues me inspiram
o fundo da vida.(...)
Herberto Helder

Beijinho

Storyteller disse...

Bela expressão. Cheiro a corpo.
Nunca tinha pensado nisso...
Bela expressão, mesmo!

Princesa (des)Encantada disse...

LBJ,
Que dificuldade comentar este texto fantástico. Às vezes custa entender e aceitar as coisas mais simples, porque nos habituamos demais a argumentos complicados, mensagens subrepticias e raciocínios intricados. Mas o cheiro é definidor, sim. Quer a falta dele como o palpável de não ter o amor e o corpo que se quer, o palpável da ausência, quer o que nos fica de coisas que temos em nós de trás, cheiros que temos de largar porque já não nos definem.

LBJ disse...

WAI,

:)

Beijo

LBJ disse...

Storyteller,

É sem sombra para duvidas uma bela. muito bela expressão.

LBJ disse...

Princesa,

Há uma frase dita no vídeo por um louco que diz:

“Ou bem você tem uma esperança e então age, ou bem você não tem nenhuma e então renuncia”

Cheiros que se procuram ainda ou cheiros que se desvaneceram e se procuram esquecer ou substituir por outros mais intensos. :)

Beijo

Ana GG disse...

É tão bom quando se sente, depois de se esperar sem pressas, que num estalar de dedos, num momento tão esperado mas inesperado, que o nosso corpo ganha cheiro no cheiro de outro corpo.

Vani disse...

Bolas. Fico sem palavras perante as tuas. Mas percebo. Não me falta o cheiro a outro corpo, mas falta-me o meu.

E um livrinho teu na minha mesa de cabeceira, para quando? é que o portátil não dá muito jeito!

LBJ disse...

Ana,

Pois é… faz-nos sentir como parte…

Beijo

LBJ disse...

Vani,

Nós estamos tanto connosco que já nem nos cheiramos :)

Livrinho é sonho, daqueles mesmo remotos, mas já vi tanta coisa na vida ;)

Obrigado

Fada disse...

E "sentir" o cheiro de alguém que nem conheces,já te aconteceu??

Sou muito sensível a cheiros. Não à intensidade, ou ao tipo, mas sim ao que aviva na minha memória sem sequer saber, por vezes, identificá-los.

Beijitos

LBJ disse...

Fada,

Eu tenho mesmo pouco olfacto, nunca me aconteceu imaginar um cheiro e normalmente imagino as pessoas diferentes do que são, mas raramente me decepciono :)

Beijo

Vani disse...

LBJ, não vejo porque seja remoto. Eu sei que escrever um livro não é o mesmo que mandar as nossas postas de pescada num blogue, eu sei. Muitas vezes o que nos separa de um livro é o medo ;-) de descobrirmos que, se calhar, não somos escritores...que escrever é mais do que brincar com as palavras e juntá-las em crónicas. Que um livro implica uma ideia com principio, meio e fim distribuidos por várias páginas.
Mas, acho que no teu caso o sonho não pode ser assim tão distante. Tu és escritor. Escreve! :)

ps - desculpa os hiatos das visitas, mas além de ter de tomar conta do meu casulo, da minha realidade e do meu blogue, lololol, gosto de te ler com tempo e atenção.

LBJ disse...

Vani,

Esse é o ponto, principio, meio e fim, por enquanto vou tendo princípios e um pequeno projecto que vai andando, sem destino pré-definido, um passinho de cada vez :)

Fico muito sensibilizado pelas tuas palavras de incentivo e não te preocupes com os teus hiatos, vai passando que gosto das tuas visitas, já uma vez te disse que foste das primeiras pessoas que notei neste mundo virtual, pela tua forma de estar, senti que passaste por uma fase menos boa, mas noto agora que aparentemente o pior já passou,