segunda-feira, 11 de maio de 2009

Restolho de sonhos


Navego entre a realidade e o que me vai sobrando na espuma à margem dos sonhos.


O mundo dos meus sonhos, difunde-se no instante que entremeia um acordar que não se limita na saída dos reinos de Morfeu, alimento-me dos seus farrapos e visto-me do seu nutrir, o sonho tornou-se meu mar, barco e ancora virtual da minha vontade de ainda ser amanhã.


O nosso inimigo comum, o meu e o do sonho é o tempo, é ele que me produz fome e ânsia de devorar vida, de não esperar, de cair na tentação de desesperar, de sair por ai na presa de ser e amar, sem querer saber dos riscos de voltar a sofrer, sem mais tempo para ter tempo.


O sonho alimenta a esperança, o tempo faminta o sonho. O sonho reduz-se no tempo esfarela-se em restolho de esperança e sinto fome, sinto a cada dia que passa, mais fome.


Sonho ainda no entanto com um tempo em que seremos capazes de espelhar o uso do tempo e do sonho no transformar em encanto de todo o nosso desencanto.
Anna Domino-Land Of My Dreams

4 comentários:

Princesa (des)encantada disse...

LBJ,
Agora a desarticulada sou eu... Texto lindo, coisa muito triste. Mas gostei de ver o parágrafo final. :)

Pronúncia disse...

O tempo é sempre pouco e os sonhos, esses são sempre muitos. Só por isso nunca se poderão espelhar um no outro.

Com o passar do tempo, há sonhos que vão sendo sacrificados, para que outros se realizem e mesmo para darem lugar a novos sonhos.

Não podemos ser dominados pelos sonhos que perdemos, mas agradecidos pelos que concretizamos e acima persistentes na concretização dos sonhos que entretanto surgiram.

Não podemos mudar o passado, mas podemos e demos viver o presente e tentar influenciar o futuro. :)

I.D.Pena disse...

Por coincidência também falei de sonhos no meu "brloque" hehe :)

Gostei do texto e pronto a Pronúncia falou tão acertadamente que nem me atrevo a acrescentar nada.

Beijos LBJ

LBJ disse...

Princesa,

às vezes a vida faz mais sentido quando lhe acrescentamos um parágrafo. :)